Preconceito. Militares são discriminados no Pan, por prestarem continência a Bandeira Nacional, em demostração de respeito.

A Continência à Bandeira Nacional dos militares brasileiros, no pódio de medalhas, nos jogos Pan-americanos de Toronto, Canadá, vem trazendo orgulho a todo país e causando sentimentos infantis aos esquerdopatas de plantão, que tentam polemizar e vilipendiar o ato de patriotismo, para assim vetar a saudação, em respeito ao Hino e a Bandeira Brasileira, do cerimonial de medalhas do evento esportivo.
Equipe brasileira feminina de revezamento 4x100 livre ao receber a medalha de bronze no Pan de Toronto.
Uma cena envolvendo atletas brasileiros se tornou comum nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, que começaram no último dia 10. Esportistas estão prestando continência, um gesto militar, ao receber medalhas no pódio.
Foi assim, por exemplo, em cerimônias de premiação no judô, na natação e no remo. Muitos prestam continência à bandeira do Brasil durante a execução do Hino Nacional.
A explicação é simples: são atletas com patente militar. Dos 600 integrantes da delegação brasileira no Canadá, 123 são militares.
A BBC Brasil ouviu psicólogos do esporte sobre o comportamento dos atletas brasileiros e encontrou opiniões diferentes. Há quem considere o gesto apenas um ato de respeito, mas também houve críticas.
Nas redes sociais, o assunto também motivou controvérsia. Enquanto alguns usuários manifestaram naturalidade em relação ao ato e minimizaram a polêmica, outros notaram que atletas também militares não fizeram o gesto em torneios anteriores.
Sabe qual é a origem da Continência? Veja o vídeo.

0