Após 13 anos, deputado Marco Prisco é reintegrado ao quadro da PM da Bahia.

O governo da Bahia reintegrou o deputado Marco Prisco (PSDB) ao quadro da Polícia Militar em cumprimento de decisão judicial de abril deste ano. A informação foi divulgada pelo próprio parlamentar e confirmada pela Secretaria de Comunicação da Bahia (Secom) nesta segunda-feira (27) julho.
O então Soldado Prisco foi expulso em 2002
A decisão foi publicada no Boletim Geral Ostensivo da PM (BHO/PM). Líder das últimas greves dos policiais militares na Bahia, Prisco foi demitido há 13 anos da corporação.
Prisco foi expulso em 2002 por envolvimento no movimento grevista. Ele também liderou a última greve dos policiais militares da Bahia, em abril de 2014.
Em entrevista a um site da capital baiana, Prisco contou que a decisão foi publicada na última quinta-feira (23), no entanto, ele, só teve conhecimento nesta segunda-feira (27), após informações repassadas por colegas da PM. “Mais cedo ou mais tarde, isso iria acontecer. Esperei 13 anos e sete meses. Já ganhamos sete vezes e o estado não cumpriu. Eu recebi com suspresa, achava que iriam retardar mais ainda”, disse. Quando deixou a PM, ele era soldado do Corpo de Bombeiros. Prisco terá direito a ir para a reserva remunerada da PM, já que foi eleito deputado, segundo informou.
Prisco entrou com pedido de reintegração no TJ em 2010, quando foi sancionada a Lei de Anistia, que determinou a reintegração de militares punidos por participar de movimentos reivindicatórios. O TJ, por unanimidade, decidiu que o Estado deveria reintegrá-lo. O governo opôs embargos de declaração, alegando obscuridade na decisão e pedindo que a sentença fosse revista pelo próprio Pleno do Tribunal. Os desembargadores, no entanto, indeferiram o recurso.
0